Qual o Papel da Liderança na Organização e Seus Estilos?

O que é Liderança?

Liderança é a capacidade que um indivíduo tem de exercer influência sobre outras pessoas, através de um processo de comunicação, visando atingir determinados objetivos específicos.

Essa influência pode ocorrer de diversas formas, desde o uso de violência até formas suaves de convencimento.

Liderança

Liderança

Tipos de Influência

O estilo de liderança de um chefe pode motivar ou desmotivar um funcionário. Portanto, é preciso conhecer a motivação humana e saber conduzir as pessoas, ou seja, liderar.

A liderança é necessária em todos os tipos de organização humana, principalmente nas empresas e em cada um de seus departamentos.

A liderança é essencial em todas as funções de administração: planejamento, organização, direção e controle. Porém, ela é mais relevante na função de direção, aquela que toca mais perto as pessoas.

Os líderes devem estar não apenas no nível institucional, mas em todos os níveis da empresa e nos grupos informais de trabalho.

O Papel da Liderança

O objetivo humano na administração é restaurar e manter o equilíbrio do grupo e a adaptação do pessoal perturbado pela mudança.

Cabe à liderança encorajar os empregados de forma a minimizar os sentimentos de frustração e insegurança decorrentes do processo de mudança, estabelecendo bases sólidas de comunicação e participação dos mesmos no processo.

Se as condições apoiam a mudança cultural, você como líder, deve considerar as seguintes questões:

  • Faça com que todos percebam a real necessidade da mudança;

  • Comunique claramente os objetivos e as alterações a serem implementadas;

  • Dê atenção especial ao treinamento dos funcionários;

  • Encoraje a ideia de mudança como adequação ao meio;

  • Faça as pessoas do topo tornarem-se modelos, determinando assim o tom de seus comportamentos;

  • Crie novas histórias, símbolos e rituais para substituir aqueles atualmente em uso;

  • Selecione, divulgue e apoie empregados que apoiam os novos valores buscados;

  • Replaneje os processos de socialização para se alinharem aos novos valores;

  • Mude o sistema de recompensas para estimular a aceitação de um novo conjunto de valores;

  • Substitua normas não escritas por regras e regulamentos formais que serão estritamente seguidos;

  • Mude as atuais subculturas através de transferências, rotação de cargo e/ou demissões;

  • Trabalhe para conseguir consenso de colegas através da participação de empregados e da criação de um clima com alto nível de confiança.Ações do Lider

Um processo de mudança cultural certamente não se dá de uma hora para a outra, mas a questão é:

A cultura pode ser modificada? A resposta é: SIM!

A cultura organizacional é um tema extremamente complexo e ambíguo, mas que é de vital importância para as organizações em geral.

Ela é a identidade que será apresentada para uma sociedade, clientes, fornecedores, concorrentes e os próprios funcionários.

Nela estará inserida todas as variáveis que de uma forma ou outra influenciam o comportamento e as percepções que os indivíduos tem desta organização, podendo ser estas variáveis a cultura de uma nação, os valores, as crenças e pressupostos. personalidade da gerencia e funcionários, etc.

Essa percepção é um dos pontos básicos, pois através dela os indivíduos reagem à proposta da organização, salientando que elas podem ser influenciadas ou influenciar a cultura organizacional de uma empresa.

Estas respostas são passíveis de serem medidas e o resultado disto pode ser o sucesso ou o fracasso de uma empresa .

Portanto, a partir da década de 70 houve uma grande preocupação no estudo desta cultura organizacional percebendo as empresas que elas mesmas não eram apenas uma máquina de produção de bens de consumo e serviços, elas são um instrumento social complexo, que além de produzir bens de consumo e serviços, produzem artefatos sociais, pois tem características próprias e estão muito ligadas ao meio social em que convivem.

Passou-se então a ter uma preocupação maior com esses relacionamentos e percepções, houve uma valorização do ser humano, buscando entendê-lo melhor e o encaixar onde melhor pudesse trazer retorno para a empresa, na intenção de diminuir os atritos, reclamações, perda de qualidade e aumentar os resultados e qualidade de vida no trabalho, satisfazendo da melhor forma possível aos seus funcionários e acionistas.

Essas transformações nas empresas, buscando obter uma cultura organizacional forte e coesa foi praticamente que imposta pelo mercado altamente competitivo e em constante mudança e por uma sociedade crítica e pretensiosa de uma qualidade de vida melhor no trabalho.

Estilos de Liderança

Pode-se caracterizar três estilos de liderança:

a) Estilo Autocrático;

b) Estilo Democrático e

c) Estilo Liberal (laissez-faire).

Como funciona cada estilo

 

Liderança Autocrática:

O líder fixa as diretrizes sem qualquer participação do grupo.

O líder determina as providências e as técnicas para a execução das tarefas, cada uma por vez, à medida que se tornam necessárias e de modo imprevisível para o grupo.

O líder determina a tarefa que cada um deve executar e qual o seu companheiro de trabalho.

O líder é dominador e “pessoal” nos elogios e nas críticas ao trabalho de cada membro.

Liderança Democrática:

As diretrizes são debatidas e decididas pelo grupo, estimulado e assistido pelo líder.

O grupo esboça as providências e as técnicas para atingir o alvo, solicitando aconselhamento técnico quando necessário, passando este a sugerir alternativas para o grupo escolher, surgindo novas perspectivas com os debates.

A divisão das tarefas fica a critério do próprio grupo e cada membro tem liberdade de escolher os seus companheiros de trabalho.

O líder procura ser um membro normal do grupo. O líder é “objetivo” e limita-se aos “fatos” em suas críticas e elogios.

Liderança Liberal:

Há liberdade completa para as decisões grupais ou individuais, com participação mínima do líder.

A participação do líder nos debates e nas decisões é limitada.

Tanto a divisão das tarefas como a escolha dos companheiros ficam totalmente a cargo do grupo. Absoluta falta de participação do líder.

O líder não tenta avaliar ou regular o curso dos acontecimentos.

O líder somente comenta sobre as atividades dos membros quando perguntado.

Na vida prática, o líder utiliza os três estilos de liderança, de acordo com a situação, com as pessoas e com a tarefa a ser executada.

O líder tanto manda cumprir ordens, como consulta os subordinados antes de tomar uma decisão e sugere a algum subordinado realizar determinadas tarefas.

O principal problema da liderança é saber quando, com quem e em que circunstâncias usar um estilo ou outro.

Existem outras formas de distinguir estilos de liderança:

a) Liderança com Ênfase na Produção;

b) Liderança com Ênfase nas Pessoas.

Ênfase na Produção:

A preocupação é com a produção, com os resultados da tarefa. A tarefa é o mais importante. A liderança é autocrática.

Ênfase nas Pessoas:

Neste caso a preocupação é com as pessoas, independentemente de serem subordinados, colegas ou chefes com quem trabalha. A liderança é democrática e a supervisão é participativa. As pessoas são o mais importante antes e durante a execução das tarefas.

Aprenda Como Criar Um Site Profissional Para Turbinar Suas Vendas Online. Pegue Seu Acesso!  

Helio Aragão

Empreendedor digital, graduado em Processos Gerenciais, grande entusiasta do empreendedorismo e do marketing digital e suas tecnologias.

Website: https://empreendedoresclarecido.com.br/

Deixe um comentário